quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Histórias de Beleriand: ...aqui se paga.


 Caros aventureiros de Elgalor, segue mais um curto trecho do diário de Maglor. Boa leitura.

Joselito abriu os olhos. Sua cabeça latejava. Tentou levar a mão esquerda à cabeça, mas algo a segurou. Viu que estava algemado, preso à parede por uma corrente grossa. Instintivamente tentou usar a mão direita para se soltar. Também estava presa. Puxou as correntes com toda sua considerável força. Gritou, urrou, esbravejou. O metal começou a entrar em sua carne, mas nem as algemas não cediam e nem Joselito cediam.

(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)-(-)

– Joselito, você foi acusado de matar um de meus súditos em meu reino, um de meus guardas.
Joselito tentou gritar novamente, mas uma mordaça, que fora colocada à força após sua quinta explosão de ameaças de arrancar as orelhas do Rei Thingol e violar a Rainha Melian, impedia que qualquer som inteligível saísse de sua boca.

– Você está diante de mim para receber meu julgamento. A sua ofensa é punível com morte. – Thingol pára por um momento e olha para sua rainha, se certificando de sua decisão. – Mas, em vista dos conselhos de minha Rainha, decidi aplicar uma punição mais branda: você nunca mais pisará sob as árvores de nossa floresta e será marcado para que todos saibam que é um inimigo de meu povo.
Thingol olha para Melian e lhe dá um leve aceno. Melian olha para Joselito com uma expressão fria, até cruel, e estende sua mão em direção ao bárbaro. A princípio nada acontece. Mas, lentamente, como se o feitiço estivesse ganhando ímpeto, Joselito começa a sentir seu peito queimando de dentro para fora. Pequenas gotas de metal fundido começam a brotar em sua pele, sob seus farrapos, que logo irrompem em chamas. O feitiço cresce em poder, e o metal fundido também, queimando a carne do orgulhoso Joselito. Ele sente uma dor brutal, mas não dá a satisfação aos elfos de ouvirem sua dor: ele cerra os dentes com tanta força que alguns trincam, mas não grita.
Os músculos de Joselito se retesam à medida que o metal prateado termina de se fundir ao seu corpo. Inicialmente nenhum símbolo pode ser visto na tatuagem argêntea que surge, mas, no final da transformação, os restos da camisa chamuscada de Joselito caem, e todo o salão contempla uma grande lua crescente prateada, símbolo do deus dos elfos, no peito do bárbaro.

2 comentários:

  1. Au.

    Pobre Joselito, embora tenha sido idiota, sinto pena quando lembro do que aconteceu com ele depois, hihihi.

    ResponderExcluir