quinta-feira, 8 de setembro de 2011

πδ (pi-delta) explica: Estratégia do Rei Thingol

Olá caros amigos biológicos. Hoje πδ (pi-delta) analisa a estratégia mágica do Rei Thingol em sua batalha contra Skarr (confiram a história neste link). Usem os comentários para dizer o que acham que deu errado.

[Obs: A batalha foi no sistema D&D 3.5]

Antes de começarmos, uma pequena ressalva. A batalha entre Rei Thingol e Skarr foi descrita com maestria pelo grande Odin (mestre da sessão). Mas, como geralmente acontece, não é possível apenas transcrever literalmente o que ocorreu na aventura, por questão de espaço e por questões narrativas. Então o combate real e o descrito diferem em alguns detalhes (duração, magias lançadas...), mas que não afetam a batalha nem seu resultado final: a derrota de Thingol. Portanto, as táticas descritas aqui podem diferir do relato escrito nas Crônicas de Elgalor. Além disso, devido à minha falha de memória, não me lembro de todos os detalhes.

Uma das grandes variáveis que afetam o mago no campo de batalha é a distância entre ele e seu oponente. Uma distância grande geralmente favorece o mago, enquanto em proximidade corpo-a-corpo ele está em grande desvantagem.

Outra limitação do mago é a capacidade de soltar apenas uma magia por turno (sem considerar talentos como Magia Acelerada).

Assim, como o combate ocorreria em uma redoma fechada, com pouca distância entre Thingol e Skarr, sua primeira providência seria ganhar a iniciativa (senão estaria morto), e isso Thingol realmente ganhou na sorte. Depois, a primeira ação dele foi lançar a magia Parar o Tempo. Ele ganhou 3 rodadas com essa magia e isso permitiu ganhar tempo e soltar várias magias, que foram:

- Cubo de Força (com barras): para prender Skarr e manter distância entre os dois.
- Névoa ácida: centrada em Skarr (graças aos vãos do Cubo de Força) iria afetar o bárbaro e corroê-lo lentamente. Além disso, ela reduz o deslocamento igual Névoa Sólida (o que adicionalmente iria impedir o arremesso do machado).
- Voo (acelerado): mobilidade é essencial.
- Névoa Mental: para enfraquecer sua Vontade.

Mas, para citar um dito muito sábio: “Merda acontece”. Ocorreu que as divinações de Thingol não o preveniram sobre um item de Skarr que permitiria quebrar o Cubo de Força. Então é isso que Skarr faz em seu turno, mas ele ainda não conseguiu sair da névoa.

Thingol reage, soltando a magia Inverter Gravidade, fazendo Skarr e a névoa subirem. Como o bárbaro está dentro da névoa, não consegue arremessar o machado. Então, “merda acontece novamente”. O jogador de Skarr argumenta que se a névoa é sólida o bastante para impedir o arremesso do machado, ele poderia “nadar” nela. E é isso que ele faz, nadando em direção à borda da névoa.

Thingol reage novamente, lançando a magia Imobilizar Monstro. Skarr permanece imobilizado por alguns turnos, até quebrar o efeito. Nesse meio tempo Thingol conjura Relâmpago (maximizado) e Corrente de Relâmpagos (modificados para causar dano ácido) para ir drenando a vida do bárbaro (que não quer morrer!) e uma Esfera Prismática.

Skarr consegue chegar até a borda da névoa e arremessa seu machado, que atinge Thingol em cheio, quase o matando. Thingol voa para dentro da Esfera Prismática. E é aqui que acredito que ele cometeu seu grande erro: impaciência (não culpe-o, eram quase 3 horas da manhã). Ao invés de esperar e deixar o bárbaro se exaurir ou tentar atravessar a Esfera Prismática, Thingol sai do lado oposto. Não me lembro do que ele tentou depois, mas o resultado foi o bárbaro (que tinha apenas alguns pontos de vida) matando-o.

O fim foi triste para mim, principalmente porque passei um mês pesquisando combinações de magias para derrotar o bárbaro, já que Thingol estaria igualmente preparado.
...or not.
Então, o que vocês fariam no lugar de Thingol?

2 comentários:

  1. Hahaha, gostei do "or not..."

    Muito bom, Aramil.

    No meu ponto de vista, a estratégia que usastes foi a melhor possível; eu não seria capaz de pensar em algo melhor, e mesmo com absolutamente tudo contra Thingol, ele chegou muito próximo da vitória, o que só foi possível graças a tua estratégia bem elaborada.

    ResponderExcluir