quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Histórias de Beleriand: Entre o Martelo e o Tempo


Bom dia, aventureiros cansados. O fim do inverno se aproxima. Então se sentem diante da lareira para escutar mais um trecho do destino de um bravo grupo da longínqua Beleriand. Boa leitura.

– Mas são mais de 500 quilômetros até lá! – Rhenuliu brada – Não conseguiremos chegar a tempo usando cavalos. E não possuo magias poderosas o bastante para nos levar até lá.
– Nem eu – Zingara comenta desanimada.
– Isso não adiantaria. Morgoth protege seu território conquista contra magias de transporte, graças à sua Torre. Mas eu já pensei em uma solução para o problema de vocês, embora não goste e a considero o último recurso: pedir ajuda aos elfos ao sul – o Rei Korvar diz.
– Como assim, último recurso? E por que não gosta disso? – Rhenuliu diz indignado. – Saiba que foi o reino de Sirion que causou todo esse problema conosco, nos forçando para o Sul.
– Mesmo antes disso vocês elfos sempre foram arrogantes. Em minha opinião, a justiça foi feita naquele época. Não pense que os anões esquecem as ofensas que vocês nos causaram! – Korvar fala, olhando mortalmente para o elfo franzino à sua frente.

– Cale-se Rhenuliu – Erick intervém – e perdão, Rei Korvar, não queríamos desenterrar o passado e reabrir feridas antigas. Mas como os elfos nos ajudarão?
– Não é você que precisa pedir perdão, meu jovem. Só aviso: é melhor acharem uma maneira de controlarem a língua solta de seu elfo, ao menos enquanto estiverem entre anões. Mas deixemos isso de lado. Os elfos possuem Águias Gigantes, que poderiam levar vocês até seu destino em menos de quatro dias.
– Imagino que eles não emprestariam as Águias de bom grado. Qual será o preço? – Rudolph pergunta, desconfiado.
– Não sei o que eles pedirão em troca, se é que aceitarão auxiliá-los. Mas o problema real é vocês chegarem até lá. Para tal, precisarão atravessar o Cinturão de Melian, uma barreira mágica criada pela rainha dos elfos que só permite que os “amigos dos elfos” adentrem a floresta. E hoje em dia somente elfos são “amigos dos elfos”. Talvez a presença de um deles entre vocês – o Rei olha com desprezo para Rhenuliu – facilite as coisas. Não sei. Posso providenciar cavalos a vocês, assim chegarão, em menos de um dia, até floresta de Taur-im-Duinath.

– Hahahaha. Quero ver algumas árvores me deterem. Eu dou um jeito nesses afeminados – Joselito fala para todos.
– É disso que estamos preocupados – Rudolph diz.

3 comentários:

  1. Hahaha, o espirituoso Joselito... que bizarra sina o destino lhe reservou...

    ResponderExcluir
  2. Prezado Aramil!!! saudações excelente historia, mas estou com uma dúvida, suas histórias elas se passam em que era da terra média?!!!esse mundo é o mesmo mundo por onde caminhou feanor, curufin, fingolfim, orome ou é " seu mundo" de campanha?!!!
    desde ja agradeço bom domingo!!!

    ResponderExcluir
  3. @ Miguel Ahrkanjo

    Você adivinhou corretamente: este é o meu mundo de campanha. Eu me aproveitei do mapa de Beleriand e de algumas histórias do Silmarillion, mas mudei muitas coisas. Então a história não se passa exatamente na Terra Média. Boa semana!

    ResponderExcluir