quinta-feira, 2 de junho de 2011

Histórias de Beleriand: Um Pouco de História

Olá leitores. Quinta-feira. Dia de tinta no papel (na realidade, pixels na tela) para contar mais uma parte do livro de Maglor, que narra algumas das histórias de Beleriand.

R
henuliu era um elfo. Rhenuliu estava em Sirion. Rhenuliu estava com sérios problemas. Para entender porque, é necessário um pouco de História de Beleriand. O renomado historiador Van der Planck escreve o seguinte, em seu livro Anais de Sirion:

O ano era 129 F.S. O reino crescia esplendidamente. Toda a região dos Falas estava ocupada e prosperando, com a fronteira de Sirion atingindo as Ered Wethrin ao norte, Doriath a leste e o grande mar de Belegaer a oeste. Os grandes portos de Brithombar e Eglarest, sem contar a própria capital, Sirion, estavam fervilhando de atividade. Navios partiam a cada virada da ampulheta, em direção a diferentes rotas de comércio, tanto para os pequenos reinos independentes do Norte quanto para as grandes nações e oligarquias do Sul.
Mas os altivos elfos de Doriath não compartilhavam da visão expansionista do rei humano, Hiron Argentum. Sirion precisava desesperadamente de madeira para construir suas naus, especificamente madeira élfica, e os elfos recusavam-se a derrubar suas árvores.
Por uma virada do destino, Sirion havia entrado em uma guerra contra o povo bárbaro que habitava as Falas alguns anos antes, e havia se saído vitorioso, e bem armado. Assim, o rei Hiron já dispunha de um grande exército treinado e ele decidiu lançá-lo subitamente contra o reino de Doriath, dando início à Guerra das Árvores.
Embora o povo élfico fosse habilidoso com armas, ele não estava preparado para uma guerra, especialmente vinda dos humanos, um dos povos da Luz. Portanto, em apenas 3 anos, toda a floresta de Doriath havia sido tomada, embora não com poucas perdas. O rei élfico, Thingol, e a rainha Melian negociaram um acordo com Hiron, que também estava ansioso por acabar com a guerra, pois seu exército, e sua coroa, estavam enfraquecidos. Assim, foi permitindo que os elfos se realocasse para uma floresta mais ao Sul, Taur-im-Duinath.
No entanto, antes de partir, a rainha Melian rogou uma maldição contra Hiron Argentum, dizendo: “Por madeira mataste, por madeira morrerás. Cairás como um grande olmo de raízes podres e suas embarcações virarão contra seus tripulantes...”.
Assim os elfos vieram a ocupar Taur-im-Duinath, mas Melian e Thingol juraram nunca mais virar as costas aos humanos. Então Melian lançou seu críptico Cinturão, que somente permitia a entrada de elfos em seu novo lar.
O rei Hiron realmente veio a falecer, um ano depois, em 134 F.S., durante um torneio de justa, quando uma lasca de madeira da lança do oponente atravessou sua viseira e perfurou-lhe o olho.
         Desde então tem havido animosidade entre humanos e elfos em Beleriand.
         Quanto às embarcações construídas naquela época, muitas naufragaram em alto mar sem motivo aparente...

Rhenuliu era um elfo. Rhenuliu estava em Sirion. Rhenuliu estava invisível, mas os magos estavam chegando.

Rhenuliu estava com sérios problemas.

3 comentários:

  1. Olá, adorei este blog.
    A história eh muito divertida.
    Tbm possuo um blog neste estilo, com estória de Beliriand.

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante mesmo, lorde Aramil. E fico feliz em saber que histórias deste tipo também são contadas em vosso blog, nobre druida.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom! História criativa e muito bem contada, nobre Aramil.

    ResponderExcluir