sábado, 15 de janeiro de 2011

Aventureiros em Elgalor

Os indivíduos conhecidos comumente como “aventureiros” são bastante importantes no mundo de Elgalor por várias razões.

Uma delas é que mesmo em reinos como Eredhon, que é governado por um rei paladino e possui o maior exército e melhor cavalaria dos reinos, é impossível que soldados e cavaleiros estejam em todos os lugares; há locais onde o exército do rei levaria dias para chegar, e outros onde eles não poderiam sequer entrar.

É neste ponto que os aventureiros se destacam, fazendo coisas que ninguém mais pode fazer no momento, mesmo que seja “apenas” expulsar de uma pequena vila um bando de goblins.

Elgalor é um mundo rico em magia, mas onde existem relativamente poucos itens mágicos. Desta forma, aqueles que são capazes de abrir seus caminhos e lutar por seus ideais com a própria força são muito valorizados. As canções dos bardos não trazem histórias sobre guerreiros que portavam espadas lendárias, mas sim de guerreiros que empunhavam de forma lendária suas espadas.

Outra razão pela qual os aventureiros são importantes em Elgalor é o fato deles serem extremamente raros; apenas 1% da população dos reinos é composta por indivíduos desta espécie (com níveis de guerreiros, magos, clérigos...). Aventureiros que lidam com magia, como magos ou druidas, são ainda mais raros, o que contribui para aumentar o fascínio que a magia desperta no coração das pessoas comuns. Nos templos, a maioria dos devotos são noviços ainda sem nenhuma capacidade de conjurar magias de cura ou expulsar mortos vivos.

É importante lembrar que aventureiros, mesmo os heróis, não são bem-vindos em todos os reinos; o reino de Loregard, que é governado por um rei ligado ao clero do reino, não aprecia a presença de aventureiros por julgar que estes muitas vezes trazem mais problemas do que soluções, especialmente quando o grupo possui bárbaros em suas fileiras. Nos Reinos Bárbaros de Arghon, bardos, guerreiros e aventureiros ligados à natureza são tidos em alta conta, mas conjuradores arcanos são vistos com muita desconfiança.

Os aventureiros em Elgalor são amados e temidos, dependendo de seu comportamento, da classe a que pertençam e do reino em que estejam. De qualquer modo, como as canções e histórias comprovaram ao longo dos séculos, eles são indivíduos que sempre deixam suas marcas e legados, onde quer que estejam.

5 comentários:

  1. Grande Odin, muito belo post sobre esse mundo que me encanta e alimenta minhas canções, estou preparando uma nova canção sobre minhas andanças pelas estradas desconhecidas de Elgalor e em breve mandarei a história do início das minhas andanças.

    ResponderExcluir
  2. Druidas, segundo as regras de D&D 3.x têm magia divina, não?

    Mas, de qq forma, até agora, o cenário está bem interessante. Me parece bem variado e complexo. Muiot bom!

    ResponderExcluir
  3. Muito legal o post! Elgalor é mesmo um mundo fascinante.

    ResponderExcluir
  4. Rhorvals Alhanadel, o Ciclone de Aço15 de janeiro de 2011 18:46

    Excelente post, Odin! Espero ver logo o mapa de Elgalor!

    Só uma curiosidade minha. Os reinos de Eredhon e de Loregard são baseados nos reino de Furyondy e na Teocracia de Pale?

    ResponderExcluir
  5. Obrigado por apontar o erro, amigo Hayashi; o correto era apenas magia, e não "magia arcana".

    Infelizmente, nobre Rhorvals, desconheço os reinos que descrevestes, mas Loregard é de fato uma teocracia, fundamentada pela doutrina de St. Cuthbert.

    ResponderExcluir